Meu mundo, minhas ideias, EU!

Os vícios de linguagem e termos da moda estão tomando conta da sua caixa de e-mails, apresentações, reuniões, conversas… Enfim, da sua rotina. Alguns desses termos você entende, outros você tem uma idéia do significado e existem uns que significam o oposto do que você pensa que é. Acompanhe a lista dos jargões que selecionamos e, no final, conte qual é o termo que está no topo da sua lista negra.

1.    Agregar valor

Esse termo se espalhou mais rápido de que fogo em armazém. “Adicionar ou agregar valor significa que eu tenho que pagar mais por um produto por causa de uma característica que eu provavelmente nunca vou usar”, define Steve Olson, gerente de infra-estrutura de um jornal de Las Vegas (EUA). O executivo também gosta do jargão “reduzir o custo total de propriedade”, que segundo ele foi criado para explicar porque os produtos do fornecedor custam mais.

2.    Solução

Qualquer produto e qualquer aplicação passou a ser chamado de solução. Nos Estados Unidos, o mais próximo disso é o que se chama lá de “solutions-oriented”, que para o arquiteto de TI da Gannett, Eric Kuzmack, significa pagar mais por um software e também sua manutenção, suporte e serviços de implementação porque nosso produto é muito pobremente documentado para ser instalado sozinho.

3.    Web 2.0

A mais recente e quente expressão usada no mercado de TI parece ser “Web 2.0”, o que gera nas pessoas uma expectativa por uma nova internet que deve ser lançada. Thomas Dugan, CIO da Recovery Networks em Philadelphia (EUA), diz que freqüentemente se interrompe pessoas técnicas durante um discurso ou conversa para pedir aos executivos do recinto que falem uma linguagem normal. “Não é tão difícil quanto parece”, afirma Dugan. “Eu imagino se pessoas técnicas pensam que quando eles falam existe um hyperlink automático e simultâneo a uma página do Wikipedia que explica aquilo o que eles querem dizer”, reclama.

4.    Sopa de letrinhas

Além do jargão sopa de letrinhas, tem uma quantidade de siglas em TI a que a expressão sopa de letrinhas se refere, que também cabem perfeitamente no grupos das expressões que amamos odiar. E tudo sempre parece absolutamente óbvio quando se fala delas.

“Eu sempre gosto quando percebo que eu tive uma conversa em que 90% do que foi dito eram acrônimos”, diz James Zeller, gerente de redes sênior para a empresa de advocacia Chaffe McCall. "Nós precisamos analisar os dados do BI para determinar se o ROI já foi obtido e depois reportar o trabalho em TI do CIO para o CEO. Na seqüência, precisamos dar continuidade à implementação da solução de backup para aplicar na AIT ou DDS ou usar a NAS", exemplifica.

5.    Custo/benefício

“Eu detesto quando alguém fala que é preciso fazer a análise do custo benefício e isso não porque eles não estejam disponíveis, mas porque os fabricantes não têm idéia de quais são os custos reais e usam isso para vender produtos”, diz Jeff Machols, gerente de integração de sistemas da CitiStreet. “Se eu tenho uma administração que gasta metade do dia fazendo uma função X e o produto vai eliminar essa necessidade, o vendedor fala ‘Viu, nós fizemos você economizar o tempo de trabalho de um funcionário, mas eu não posso realmente eliminar o custo’ – então são todos números falsos”, protesta.

6.    Parceiro

Atualmente, no mundo da TI, até mesmo empresas rivais se chamam de parceiras. É como se a globalização tivesse trazido consigo um ambiente de harmonia, em que tudo é motivo para fazer alianças. Mas é preciso lembrar que, apesar dessa conversa de vendedor e do trabalho ser feito em conjunto, os clientes continuam como consumidores e os fornecedores como prestadores de soluções.

7.    Único, revolucionário

Já cansamos de ouvir que, além de “somos líderes de mercado”, a ferramenta X é única e revolucionária. “É a primeira desse tipo, a provedora líder, com escalabilidade infinita e alinha os negócios à TI”, cita Don Jennings, executivo de relações públicas da Louis Paul and Partners, entre as frases que os profissionais de TI mais ouvem. Ele acrescenta que essas palavras são proibidas nos press-releases divulgados por seus clientes.

8.    Fácil de usar

“Ainda que eu seja um pouco culpado por também usar essa expressão, eu odeio o termo ‘fácil de usar’”, afirma David Hill, analista sênior para o Mesabi Group. “Ninguém usa comumente a frase difícil de usar, mas o contrário já virou um jargão muito mal-empregado e sem significado”, reforça.

9.    ITIL

“Eu gosto de citar o ITIL e o ISO 9000 de TI, que são ofertas por que se paga grandes quantias em consultoria e certificação por nada mais do que promessas de resultado”, afirma Randy Kerns, CTO para a ProStor Systems.

10.    SOA

“Preço fixo de desempenho, acessível com 10 cliques ou menos e de forma mais rápida, com padrões de código aberto, software como serviço, ILM e SOA”, diz Greg Schilz, analista sênior para storage da IO. “O significado de SOA depende do contexto de onde e como isso está sendo usado ou de uma definição de um fornecedor específico”, lembra.

Além disso, a maioria das aplicações usadas e implementadas nas companhias são voltadas para prestar um serviço aos clientes, não é? Então o que tem mesmo de tão diferente nessa oferta que merece essa denominação de ‘orientada a serviços’?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: